A rádio que mudou a Rádio

A rádio que mudou a Rádio

Começou por ser Rádio Jornal, mais tarde passou a Rádio Notícias. Mas foi sempre TSF. A rádio de Emídio Rangel e Fernando Alves e David Borges e Mário Pereira. E também de António Macedo e Sena Santos e Maria Flor Pedroso. E a de todos quantos vieram com eles ou depois deles, nos estúdios das Amoreiras e nos da Avenida de Ceuta, em Lisboa e em Portugal: de José Fragoso a José Manuel Mestre, de António Jorge Branco a João Paulo Guerra, de Carlos Andrade a João Paulo Baltazar.

Primeira passagem, fugaz, com notas soltas sobre música e espectáculos, logo a seguir à fundação, em 1988. Durou até princípios da década de 90, quando a Televisão se tornou ocupação principal.
Segunda passagem em 1997-98, para a que seria a última série de crónicas de escárnio e maldizer

Crónicas de escárnio e mal-dizer

Textos de algumas crónicas transmitidas na TSF em 1997-1998
  • O general casernícola 29-10-1997

    O candidato da coligação PSD-PP à Câmara Municipal do Porto, general Carlos Azeredo, está a revelar-se uma autêntica caixa de surpresas. Num país tão carecido de ideias, ele corre o risco de se tornar o estratego-mor da...

    Ler Mais: O general casernícola

  • Ler jornais é saber demais 21-01-1998

    Cada vez me custa mais a entender aquela teimosa mania que o professor Cavaco tinha de não ler jornais. É verdade que os jornais, por regra, estão cada vez mais pardos e menos interessantes. E é um facto que certos jornalistas são...

    Ler Mais: Ler jornais é saber demais

  • Que grande pedra 14-01-1998

    Pela leitura da última edição do Expresso, ficámos a saber que «o Presidente Jorge Sampaio propôs na última semana aos líderes dos quatro maiores partidos a realização de um almoço comum contra a droga.» Confesso que a notícia me...

    Ler Mais: Que grande pedra

  • O fado das águias 15-10-1997

    O Benfica está em crise e o país real acompanha, ansioso, as angústias, as dúvidas e o sofrimento das águias da Luz. Vão longe os dias em que «ser benfiquista era ter na alma a chama imensa», como cantava o incomparável Luís Piçarra. Mas isso...

    Ler Mais: O fado das águias

  • Insondáveis designíos 01-10-1997

    O Papa foi ver um espectáculo de Bob Dylan. Poucos anos atrás, uma notícia deste tipo seria, no mínimo, uma brincadeira de gosto duvidoso. Na melhor das hipóteses (isto é, se a notícia fosse verdadeira) seria motivo de manchete em...

    Ler Mais: Insondáveis designíos

  • O poder e o local 17-12-1997

    Os portugueses foram a votos, desta vez para eleger os representantes do chamado «poder local» – designação que só se compreende se aceitarmos que há poderes não localizáveis, o que é tanto mais verdade quanto maior é a sua dimensão. Por...

    Ler Mais: O poder e o local

  • Espírito de Natal 24-12-1997

    O Natal já não é o que era. Primeiro foi o 25 de Dezembro, usurpado pelos comunistas desde que, faz amanhã exactamente seis anos, o ex-presidente Mikahil Gorbátchov reconheceu oficialmente a extinção da União Soviética. Depois...

    Ler Mais: Espírito de Natal

 

ler todas as crónicas da TSF